Artículos

SANTOS, A. S.; ABREU, V. H. S. ; De Assis, T. F. ; Ribeiro, S.K ; Ribeiro, G. M. . An Overview on Costs of Shifting to Sustainable Road Transport: A Challenge for Cities Worldwide. Environmental Footprints and Eco-design of Products and Processes. 1ed.Cingapura: Springer, Singapore, 2020, v. 1, p. 93-121.

Resumo: O setor de transportes desempenha um papel fundamental no desenvolvimento econômico e social no contexto urbano; no entanto, tem um impacto significativo sobre os poluentes atmosféricos e as emissões de gases de efeito estufa e o esgotamento dos recursos naturais. Portanto, este capítulo busca identificar, por meio de uma revisão bibliográfica sobre transporte rodoviário e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, as sinergias e os trade-offs entre as políticas climáticas e os transportes. Foram identificadas algumas ações para mitigar os impactos do transporte rodoviário no meio ambiente, com base na abordagem ASI (Avoid, Shift and Melhor) considerando aspectos como alta eficiência energética, baixa poluição e alta capacidade. Finalmente, este capítulo apresenta algumas medidas de mitigação para o transporte rodoviário com base em seis categorias e discute o custo da mudança para o transporte rodoviário sustentável, o que é uma lacuna na literatura atual. Os resultados indicam que é necessário estabelecer uma estrutura de transporte racional com boa governança, oportunidades de financiamento, transparência e visão de médio e longo prazo, priorizando ações de incentivo ao transporte ativo, que em geral tem custos baixo-médio, em comparação a grandes transformações na infraestrutura das cidades para implantação de sistemas de metrô e trilhos leves (VLT), por exemplo, que também é urgente e tem um custo (muito) alto. Todas as ações são importantes para promover cidades sustentáveis ​​em direção a um transporte de baixo carbono. que, em geral, tem custo baixo-médio, em comparação com grandes transformações na infraestrutura das cidades para implantação de sistemas de metrô e trilhos leves (VLT), por exemplo, que também é urgente e tem um custo (muito) alto. Todas as ações são importantes para promover cidades sustentáveis ​​em direção a um transporte de baixo carbono. que, em geral, tem custo baixo-médio, em comparação com grandes transformações na infraestrutura das cidades para implantação de sistemas de metrô e trilhos leves (VLT), por exemplo, que também é urgente e tem um custo (muito) alto. Todas as ações são importantes para promover cidades sustentáveis ​​em direção a um transporte de baixo carbono.

Palavras-chave: Transporte rodoviário, Emissão de gases de efeito estufa, Esgotamento de recursos, Metas de desenvolvimento sustentável, Ações de mitigação, Políticas climáticas Abordagem, ASI, Custos.

Clique AQUI e saiba mais sobre o artigo.

GUSMAO, A. C. S. ; RIBEIRO, P. C. M. Guidelines for the Efficiency of Urban Goods Distribution: the Brazilian Case. Case studies on transport policy, v. 8, p. 1478-1488, 2020.

Resumo: O objetivo deste artigo é propor diretrizes de cargas urbanas para a distribuição de mercadorias nos principais centros urbanos brasileiros, com base no conceito City Logistics. Os sistemas de transporte em áreas urbanas e metropolitanas no Brasil sofreram forte impacto ao longo dos anos devido à intensificação do crescimento econômico. Os transportes urbanos têm sido afetados, em particular, pelo aumento do número de veículos de passageiros e da utilização de veículos rodoviários para o transporte de mercadorias necessárias e vários problemas são identificados. Conceitos e modelagem de City Logistics podem ser uma ferramenta eficiente para estudar o planejamento de atividades de movimentação de cargas em áreas urbanas. Este estudo baseou-se substancialmente em uma pesquisa por questionário aplicado a especialistas em logística de transporte. O questionário era composto por seis questões abordando itens elaborados para contemplar a necessidade de planejamento logístico de carga urbana, políticas e regulamentos existentes. O objetivo da pesquisa foi verificar a necessidade de desenvolver diretrizes específicas para o transporte urbano de carga a ser considerado no planejamento urbano. As orientações objeto deste estudo foram elaboradas com base nas questões colocadas e nas respostas dos peritos entrevistados. Os Planos Diretores de Transporte devem incorporar as diretrizes descritas nesta pesquisa. Nas cidades, a mobilidade é complexa e as questões de circulação de carga precisam ser tratadas com cuidado. As diretrizes apresentadas neste estudo abordam a mobilidade de cargas por meio da renovação de políticas públicas. São apresentadas algumas comparações com a legislação das principais capitais brasileiras. O objetivo da pesquisa foi verificar a necessidade de desenvolver diretrizes específicas para o transporte urbano de carga a ser considerado no planejamento urbano. As orientações objeto deste estudo foram elaboradas com base nas questões colocadas e nas respostas dos peritos entrevistados. Os Planos Diretores de Transporte devem incorporar as diretrizes descritas nesta pesquisa. Nas cidades, a mobilidade é complexa e as questões de circulação de carga precisam ser tratadas com cuidado. As diretrizes apresentadas neste estudo abordam a mobilidade de cargas por meio da renovação de políticas públicas. São apresentadas algumas comparações com a legislação das principais capitais brasileiras. O objetivo da pesquisa foi verificar a necessidade de desenvolver diretrizes específicas para o transporte urbano de carga a ser considerado no planejamento urbano. As orientações objeto deste estudo foram elaboradas com base nas questões colocadas e nas respostas dos peritos entrevistados. Os Planos Diretores de Transporte devem incorporar as diretrizes descritas nesta pesquisa. Nas cidades, a mobilidade é complexa e as questões de circulação de carga precisam ser tratadas com cuidado. As diretrizes apresentadas neste estudo abordam a mobilidade de cargas por meio da renovação de políticas públicas. São apresentadas algumas comparações com a legislação das principais capitais brasileiras. As orientações objeto deste estudo foram elaboradas com base nas questões colocadas e nas respostas dos peritos entrevistados. Os Planos Diretores de Transporte devem incorporar as diretrizes descritas nesta pesquisa. Nas cidades, a mobilidade é complexa e as questões de circulação de carga precisam ser tratadas com cuidado. As diretrizes apresentadas neste estudo abordam a mobilidade de cargas por meio da renovação de políticas públicas. São apresentadas algumas comparações com a legislação das principais capitais brasileiras. As orientações objeto deste estudo foram elaboradas com base nas questões colocadas e nas respostas dos peritos entrevistados. Os Planos Diretores de Transporte devem incorporar as diretrizes descritas nesta pesquisa. Nas cidades, a mobilidade é complexa e as questões de circulação de carga precisam ser tratadas com cuidado. As diretrizes apresentadas neste estudo abordam a mobilidade de cargas por meio da renovação de políticas públicas. São apresentadas algumas comparações com a legislação das principais capitais brasileiras.

Palavras-chave: Logística da cidade, Congestionamento, Diretrizes.

Clique AQUI e saiba mais.

Scarano, Fabio R. ; Santos, Andrea S. ; KAHN, SUZANA ; Nobre, Carlos ; Marengo, José ; Ometto, Jean-Pierre ; Ceotto, Paula ; Loyola, Rafael ; Pires, Aliny P. F. ; Ribeiro, Juliana B. ; Carneiro, Beatriz L. R. Sumário para Tomadores de Decisão - Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil. 1. ed. São Carlos: Editora Cubo, 2020. v. 1. 20p

Resumo: O Relatório Especial (RE) “Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil”, iniciativa conjunta do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e da Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, analisa a literatura científica, especialmente a partir do Quinto Relatório do IPCC, de Relatórios do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, da Plataforma Intergovernamental de Política Científica sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos sobre os impactos à biodiversidade e aos ecossistemas brasileiros e a decorrente vulnerabilidade sócioecológica. Além disso, a partir da revisão de estratégias e ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas com base em ecossistemas, este relatório discute de forma propositiva trajetórias inovadoras de desenvolvimento sustentável para o país. Essa iniciativa contou com o apoio financeiro do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, e tem o apoio institucional do Programa Biota/Fapesp, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, da Academia Brasileira de Ciências e da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável.

Clique AQUI e saiba mais sobre o artigo.

SARRUF, BERNARDO JORDÃO MOREIRA ; HONG, JONG-EUN ; STEINBERGER-WILCKENS, ROBERT ; DE MIRANDA, PAULO EMÍLIO VALADÃO . Ceria-Co-Cu-based SOFC anode for direct utilisation of methane or ethanol as fuels. International Journal of Hydrogen Energy, v. 45, p. 5297-5308, 2020.

Resumo: Ânodos de células a combustível de óxido sólido sem níquel são objeto de estudo para aplicações que visam a utilização de combustíveis carbonáceos primários para geração de energia. Neste estudo, um ânodo de céria-Co-Cu é produzido e testado com combustíveis de hidrogênio, metano e etanol em várias temperaturas. Os catalisadores produzidos foram caracterizados por análise de raios X e redução programada por temperatura H 2 (TPR). Testes catalíticos foram realizados e comparados com o material sob operação eletroquímica. As células foram caracterizadas eletroquimicamente por meio do registro de plotagens IV. As amostras foram avaliadas pós-teste para eventuais depósitos de carbono por investigações de espectroscopia Raman e análise de oxidação programada por temperatura (TPO). As células foram capazes de operar com hidrogênio, metano e também etanol, alimentados diretamente ao ânodo, com densidades de potência máximas variando de 400 a 540 mW.cm −2 , dependendo da corrente de combustível utilizada. As células também mantiveram sua integridade, demonstrando resistência à coqueificação por mais de 24 horas de operação contínua. Discussões e conclusões importantes são tiradas sobre a formação de carbono e o papel de cada composto na composição do ânodo. A célula bimetálica (céria-Co-Cu) é aqui comparada com as monometálicas (céria-Co e céria-Cu) que serviram como linhas de base. As vantagens da composição bimetálica são listadas e avaliadas ao longo das discussões.

Palavras-chave: Células a combustível de óxido sólido, Ânodo sem níquel, Metano direto, Utilização de etanol, Combustíveis primários

Clique AQUI e saiba mais sobre o artigo.

LEIVA, Guilherme ; Sathler, Douglas ; ORRICO FILHO, R. D. Estrutura urbana e mobilidade populacional: implicações para o distanciamento social e disseminação da Covid-19. Revista Brasileira de Estudos de População - repeb, v. 37, p. 1-22, 2020.

Resumo: O mundo vem testemunhando a rápida disseminação dos casos confirmados da síndrome respiratória aguda por meio do coronavírus (Sars-CoV-2 Covid-19). Nos primeiros meses de pandemia, as estatísticas indicam que as grandes cidades tornaram-se palcos destacados de contágio e disseminação da Covid-19. Diante desse cenário, o presente estudo oferece argumentos que auxiliam na construção e aferição preliminar de três hipóteses: a estrutura urbana e a organização das cidades interferem na taxa de distanciamento social e, portanto, no ritmo de contágio da doença; na cidade, a forma com que o sistema de transporte de pessoas está estruturado desempenha papel relevante no ritmo de disseminação da Covid-19; e a pandemia e as práticas de distanciamento físico e social alteram os padrões de mobilidade intraurbana. Analisam-se dados nacionais e regionais disponíveis em órgãos oficiais e outros trabalhos empíricos sobre a Covid-19 à luz de estudos teóricos sobre mobilidade urbana. Em seguida, por método indutivo, é feita uma associação destes dados aos diferentes modelos de cidades (compacta x espraiada), considerando, em especial, aspectos de mobilidade urbana. Os argumentos desenvolvidos nesse estudo parecem corroborar o teor central das hipóteses apresentadas. É preciso desenvolver modelos que incorporem estes elementos para avançarmos na compreensão da pandemia e, também, de elementos que auxiliem na construção de cidades mais resilientes a fenômenos como a Covid-19.

Palavras-chave: Morfologia urbana; Cidades compactas; Cidades espraiadas; Mobilidade urbana; Covid-19

Clique AQUI e saiba mais sobre o artigo.

Topo